Formação ou Negócio? Training or Business?

Hoje li um desabafo de um Treinador de Guarda Redes espanhol, de seu nome Ruben Garcia Hdez, que me ajudou a finalizar um pensamento confuso que me seguia há algum tempo…

Hoje farei uma reflexão em voz alta, porque há um tópico sobre o treino de Guarda Redes que me preocupa. Caminhando pelos campos de treino, podemos ver uma infinidade de academias onde os GR em treino, a partir dos 7 anos, a treinarem como os seus ídolos. Onde eles procuram o máximo desempenho, levando o GR ao limite com materiais de última geração e com sessões inovadoras para alcançá-lo, sem ter em conta que esses GR de elite foram crianças e passaram por diversas etapas de treino antes de chegarem à Elite. Os pais, no entanto, querem que seus filhos façam o que seus ídolos fazem e pagam por isso em várias academias específicas, onde muitas vezes se assiste a sessões muito elaboradas, onde dificilmente se vê correções ou educação básica para essas idades, como aprender a cair, posicionamento em campo, automatizar a técnica de bloqueio, coordenação, etc. Mas é claro que ensinar isso não vende como os exercícios de elite. Mas o problema e a preocupação desse problema é quando isso chega aos clubes e os responsáveis da formação ordenam que o treino seja “de elite” para satisfazer e atrair novos clientes. Infelizmente, o futebol é um negócio, e ninguém se importa com as crianças, ou que elas recebam um ensino de acordo com a idade, o que lhes permitirá dar passos firmes em cada etapa, tendo assim a oportunidade, ainda que mínima, de realizar seus sonhos. . Nenhum construtor inicia a casa pelo telhado, mas, neste caso, alguns clubes procuram o seu interesse a curto prazo hipotecando o futuro a longo prazo de seus alunos. Espero não ter ofendido ninguém com esta mensagens, é apenas uma opinião pessoal com a qual estou na cabeça há algum tempo e, após conversas com colegas todos os dias, estou mais convencido de que, com algumas exceções, não estamos no caminho certo.
Saudações
.”

Today I read a vent from a Spanish goalkeeper’s coach, Ruben Garcia Hdez, who helped me finish a confusing thought that had been following me for some time…

“Today I’ll make a reflection out loud, because there’s a topic about Goalkeeper training that concerns me. Walking through the training camps, we can see a multitude of academies where the GRs in training, from the age of 7, train like their idols. Where they look for the maximum performance, taking the RG to the limit with materials of last generation and with innovative sessions to reach it, without taking into account that these RG of elite were children and had passed for several stages of training before arriving to the Elite. Parents, however, want their children to do what their idols do and pay for it in several specific gyms, where you often see very elaborate sessions, where you can hardly see corrections or basic education for those ages, such as learning how to fall, positioning in the field, automating the blocking technique, coordination, etc. But of course teaching this does not sell like elite exercises. But the problem and the concern of this problem is when it reaches the clubs and the trainers order the training to be “elite” to satisfy and attract new customers. Unfortunately, football is a business, and no one cares about children, or that they are taught according to their age, which will allow them to take firm steps at every stage, thus having the opportunity, however minimal, to make their dreams come true. No builder starts the house from the roof, but in this case some clubs seek their interest in the short term by mortgaging the long-term future of their students. I hope I haven’t offended anyone with these messages, it’s just a personal opinion that I’ve been thinking about for some time, and after talking to colleagues every day, I’m more convinced that, with a few exceptions, we’re not on the right track.
Greetings.”


Ruben Garcia Hdez
https://twitter.com/RubenGH25_EdP

Please follow and like us: